CCTAR Santa Maria da Feira - Um projecto "Imaginação e Imaginário"!

domingo, 24 de janeiro de 2010


"Versátil Implantado numa antiga pedreira, o centro apresenta uma forma fluida e orgânica espiralada. E, elevando-se  do chão, liberta a rua para uma praça coberta, funcionando como concha acústica potenciada pelo revestimento de cortiça."

É assim que  o "Diário de Notícias" aborda na sua edição de hoje, na secção de "artes" o Centro de Criação para o Teatro e Artes de Rua (CCTAR) que está previsto ser construído em Santa Maria da Feira.
Achei deveras curioso o título que escolheram para a peça: " Projecto Imaginação e Imaginário"

De facto este projecto parece-me mais uma imaginação, palavra  que curiosamente é várias vezes repetida no artigo, ou sendo mais expressivo, parece-me um "Projecto Alucinação e Alucinado", parido por uma visão ficcionista e faraónica da realidade das finanças do município feirense.

Aliás, não é por acaso que o projecto tendo sido já elaborado e tendo-se já gasto, talvez alguns milhares de euros na sua concepção, ele continue apenas a estar previsto e sem data de execução.

Os megaprojectos não executados, ou as megainutilidades executadas são coisas comuns na Feira, lembro-me por exemplo, do "elefante branco" do Europarque, da deslocalização da Exponor  para a Feira, do PEC, do PERM, até mesmo o projecto essencial de execução do saneamento básico no concelho ainda não se concretizou, o próprio projecto deste mesmo CCTAR, não é nada de novo, já foi previsto para vários locais diferentes ao sabor do vento eleitoralista, de 4 em 4 anos, surge uma nova localização, enfim ,parece que nada disto é para levar a sério e toda a gente percebeu o contexto eleitoralista em que a execução do CCTAR surgiu,  não tenho dúvidas que na conjuntura actual, isto rapidamente cairá no esquecimento por mais 4 anos.

14 comentários:

bc23 disse...

Bem... há diferentes interpretações para tudo!

Por partes... "de 4 em 4 anos, surge uma nova localização"... há aqui um certo equívoco: a ideia de um centro de artes de rua tem apenas 4 anos (em ideia)... daí que não mude de localização de 4/4 anos. Mais, nunca houve outro projecto.
No final de 2006 nascia a ideia... na altura o antigo matadouro mostrava-se como o local de mais fácil implementação. Nunca foi possível avançar com candidatura até 2009... na altura do projecto havia um outro local possível: antigo tribunal. Abria então um concurso com área geográfica restrita ao centro histórico e envolvente, com sugestão dessas duas localizações... Bernardo Rodrigues apresentou o projecto que se conhece: noutra localização, mas dentro da área prevista e com as condições indicadas... mais, dentro do orçamento... e absolutamente FANTÁSTICO!

Desde que a candidatura QREN seja aprovada... e ao que tudo indica será... não vejo motivos para esse "imaginário"... que nasce de Imaginarius e de toda a actividade criativa fruto da imaginação em diferentes áreas das indústrias criativas que já hoje se faz mesmo sem o espaço físico.
Mais... são mais de uma centena os interessados em desenvolver o seu trabalho no local, coisa que nem a Casa da Música tinha em projecto.

Quanto aos "elefantes brancos" e "megainutilidades" descritos... onde estão? Em que medida se relacionam com este projecto? Não estamos mais uma vez a tentar destruir o que de bom se vai fazendo por cá?

Europarque... só fala em elefante branco quem queria o Europarque noutro local.

deslocalização da Exponor... de inutilidade nada teria... não passasse a AEP para as mãos de alfacinhas... hoje duvido que a própria Exponor possa crescer

PEC e PERM... como se designa de inutilidade de algo que não está pronto e não se conhece o impacto real?

saneamento básico... não está pronto, mas estará... e o prazo final contratualizado ainda não terminou :)

O Conspirador disse...

olha BC23, por mim podes continuar nesse estado de transe, que não me afecta nada, depois eu não estou a destruir nada de bom, por que isso nem sequer ainda existe a não ser em imaginações férteis como a tua. Aliás, não te censuro por pensares assim, não imaginas como eu te percebo e percebo a tua necessidade de bajulares a todo o momento o trabalho da Câmara da Feira em todas as suas vertentes. Se algum dia este projecto vier a a ser uma realidade eu cá estarei para dar a mão à palmatória.
Agora não queiras é fazer de apóstolo das virtudes da Câmara da Feira tapando o sol com a peneira, porque os buracos são demasiado grandes.
Sabes porque é que ainda não temos saneamento básico? Sabes porque é que o PEC está emperrado?
Sabes porque é que a própria câmara da Feira acha que o Europarque está longe de cumprir com aquilo que todos esperava-mos?
Não falei nisto no post, mas imaginas porque é que o metro do Porto em S.M.Feira é uma miragem?
Eu respondo, Porque este executivo camarário está completamente desfasado da realidade concelhia e o CCTAR será a junção de mais uma utopia, principalmente na conjuntura actual.
Depois, já ninguém leva a sério estes malabarismos eleitoralistas.
Cá estaremos para ver...

O Conspirador disse...

Ainda há outra coisa, é lamentável que a Câmara da Feira anuncie em tempo de campanha eleitoral, já assim foi há 4 anos, uma série de projectos que sabe de antemão não dependerem exclusivamente da sua vontade. O financiamento dos projectos dependem quase sempre de terceiros e esses nunca se concretizaram, dá-me um bom exemplo de um projecto que tenha sido anunciado e que já esteja concretizado?

bc23 disse...

Em primeiro, não ando cá para ser apóstolo das virtudes de ninguém e muito menos para tapar o sol com a peneira. Já são uns anitos e quem acompanha os blogs sabe que digo bem do que tenho a dizer e também digo MAL daquilo que acho que não está bem... não são poucas coisas... simplesmente acho que a critica pura não serve de nada... não basta dizer que está mal, mas propor alternativas.

Desde que me conheço que ouço tudo e todos dizer mal da Câmara... das pessoas... do funcionamento... da lentidão... do desfasamento da realidade... mas isso sim, de 4 em 4 anos vejo sempre a mesma coisa... e nem a história de projectos não concretizados pode ser desculpa... quem está mal: MUDA! E as oportunidades já foram muitas.

Mas isso para aqui não interessa nada!

A verdade é que no último mandato toda a gente reclamava da água... da falta de bastecimento, mesmo com a rede praticamente concluida. De repente deixou de colar o bode espiatório passou a ser o saneamento... por sinal, o maior investimento do país na área de uma só vez. Atrasado, sim... mas terminar antes da média. 2011 é a data... mas hoje já cerca de 60% de cobertura em baixa e rede em alta totalmente em curso. Problemas... é preciso recordar o bloqueio da candidatura que um tal Eng. operou quando ministro do ambiente por mudança das regras a meio do jogo?

O Europarque é neste momento algo parado por culpa do DONO... tal como a Exponor... e assim será enquanto um alfacinha estiver à frente da AEP... isso se esta sobreviver.
Ninguém explicou porque morreu a meio de 2008 a excelente programação do Europarque (quase sempre lotada)... sala que na ausência da Casa da Música chegou a receber eventos de destaque da Porto 2001.
O Europarque é neste momento um elefante branco por desinvestimento da AEP... nada mais!

Quanto ao desfasamento do CCTAR!?
Este é o processo que desde que me recordo NÃO PODE MESMO SER ALVO DE CRÍTICAS... tanto que já ninguém manda lenha para a fogueira... mais uma chuvita e apaga!
Desde o primeiro dia foi definido um orçamento máximo (5 milhões de euros) que serviu de base para o concurso... e desde sempre se afirmou: a obra só avança com aprovação da candidatura QREN... caso contrário tão cedo não haverá. E tudo indica que será mesmo aprovado... pela história da Feira na área... indiscutivelmente Capital Nacional das Artes de Rua... motivo que devia unir os feirenses nesta causa!!!!!!

Quanto às candidaturas não aprovadas, muitas vezes aconteceu por imcumprimento de prazos... mas para isso também servem os veradores da oposição... :P

Quanto ao Metro não estar na Feira. Em primeiro foi o erro estratégico de ficar de fora da AMP... agora talvez seja tarde.
Ainda acredito que no futuro se torne real... mas deixo outra questão que talvez responda a esta: porque parou o Metro para a Trofa (cujo comboio já deixou de circular para dar lugar ao Metro) e avançou para Gondomar... com o projecto absolutamente impensável que já tem consequências negativas em Rio Tinto (motivado pelo entubamento do Rio).

Quanto ao segundo comentário, e sem estar aqui para defender ninguém, aconselho leitura atenta dos manifestos... há promessas/garantias e muito mais propostas de candituras a financiamentos.
Quanto aos últimos 4 anos... também acredito que quem está por fora de tudo não perceba, o que não será certamente o caso do Conspirador, mas muito trabalho foi feito para obra nos próximos 4 anos: o que dizer da revolução viária do concelho. Foram décadas de luta, mas A41 está em força no terreno, A32 inica e Concessão EDV (incluí a tão ansiada variante da Feira, com o túnel da Cruz e a Av. da Europa que terminará com caos dos acessos a norte da cidade) foi já feita.

O Conspirador disse...

Devo dizer-te que és das poucas pessoas que admiro quando faz comentários, apesar de discordar de ti circunstancialmente, como é o caso.
Reconheço que fizeste um esforço para argumentares com algum nível e nisso felicito-te.

Vou permitir-me dizer apenas o seguinte:

Nada do que escreveste contraria aquilo que procurei transmitir por palavras no post, se exceptuar-mos a parte final deste último comentário, onde apesar do esforço não conseguiste apontar um único grande projecto camarário que tenha sido já executado.

É verdade que foram feitos investimentos em alguns eixos viários, uns resultaram directamente das obras de saneamento e da necessidade de intervencionar o esventramento inevitável resultante das mesmas, outros como a via do PEC, troço do futuro eixo das cortiças, estão tão mal concebidos, que quando forem verdadeiramente utilizados terão que ser intervencionados, (aconselho-te a circular por este percurso e verás que tenho razão).

Por outro lado há obras nas estradas que são autênticas aberrações, tanto pela demora como na concepção, por exemplo aquela estrada que passa junto do campo do S.J.Vêr, parece que aquilo nunca mais tem fim e quando tiver um fim, rapidamente alguém se irá aperceber que aquilo terá que ser alterado.

Apontaste as auto-estradas, mas nessas a intervenção da Câmara da Feira foi zero.

Ou seja, não existe realmente um grande projecto camarário que tenha sido completamente concluído.
É verdade que alguns estarão em marcha, como o saneamento, mas ao contrário daquilo que dizes o saneamento levou um incremento forte nos últimos tempos, não tanto por altruísmo camarário, mas sim por imposição de directivas europeias e tu sabes isto perfeitamente.

Assim como, o projecto PEC levou a câmara a ter alguma acção em Junho passado, por imperativos de "timing" nas candidaturas a fundos QREN, de lá para cá nunca mais se ouviu falar do assunto e o engº Emídio Sousa chegou a afirmar taxativamente, que a obra iria para o terreno em Novembro.

Portanto, como vês são duas visões diferentes do mesmo assunto, não há nenhum mal nisso, pena é que os Feirenses não se interessem mais em saber destas coisas, talvez aí estivessem mais esclarecidos no acto de votar.

Admito que muitas vezes seja um pouco preguiçoso naquilo que escrevo e não vá de forma satisfatória à profundidade dos problemas e por isso talvez fique a sensação que escrevo de sopro ao ouvido.

Mas estou aberto a aprofundar os debates e os argumentos se for caso disso.

Cumprimentos

bc23 disse...

Bem, lol, vamos por partes (outra vez) :)

"a via do PEC, troço do futuro eixo das cortiças, estão tão mal concebidos, que quando forem verdadeiramente utilizados terão que ser intervencionados"
Quanto ao PEC é verdade... o projecto deveria ser concebido noutros contornos... mas porque será que ninguém se levantou contra? Não há técnicos na oposição? :P
Quanto ao eixo das cortiças ainda nem temos projecto de execução final... em princípio a Brisa ficará responsável pelo Troço A32 (Gião) - EN1 (Suil) e a Câmara levará a estrada ao PEC... vamos a ver como fica realmente no terreno... neste caso a minha crítica vai para o tipo de via... 1x1 sem separador central, no meu entender insuficiente a médio prazo... a outra questão prende-se com o troço PEC - A29: para quando?

"estrada que passa junto do campo do S.J.Vêr"... essa é da pseudo-responsabilidade da Junta (uma vez que os €€€€ têm de cair de algum lado)... é outro projecto que não concordo, especialmente com a rotunda a fazer lembrar SJM, mas mais uma vez falamos de questões técnicas de projectos de execução e que neste caso tem intervenção directa de uma junta de outra cor política.

"Apontaste as auto-estradas, mas nessas a intervenção da Câmara da Feira foi zero."
Não é 100% verdade... a Câmara teve e tem intervenção (não total, nem poder de decisão... mas capacidade de influência e intervenção que foi utilizada) na decisão dos traçados... especialmente na variante da Feira, que não tarda nada também será A qualquer coisa, a Câmara fez um trabalho de excelência. É nestes casos que a população às vez se mostra distante.
Há cerca de 10 anos que esta estrada poderia estar pronta, mas com um muro da vergonha na zona da Cruz... o túnel era recusado, a opção ao mesmo nível não existia... restava o nível superior: já apelidado de muro da vergonha... na altura não se permitiu fazer tal coisa!!!
Hoje e muitas reuniões depois, ainda não temos o projecto perfeito, mas temos um projecto de grande nível, que além de permitir a união da cidade e o fim do caos no trânsito permitirá requalificar urbanisticamente a cidade...
Esta é uma das situações em que o atraso valeu a pena... durante anos se disse que a autarquia nada fazia, eu continuo a afirmar o bloqueio do projecto de há 10 anos foi a melhor coisa que se podia ter feito.
Caso semelhante se passou com o hospital... demorou cerca de 40 anos, mas hoje temos um hospital de excelência (podemos falar em muitas outras questões, mas já relativas a actos administrativos internos e de decisão governamental)... no que diz respeito ao hospital em si e modo como foi pensado (concelho da Feira num horizonte de 150000 habitantes) era o hospital perfeito. Há que lembrar que projectos anteriores não faltaram... todos eles da dimensão dos hospitais de OAZ e SJM... se assim fosse, hoje andariamos a lutar por um novo hospital. Mas hoje temos e teremos o hospital de referência do EDV... completamente a rebentar pelas costuras, mas também diexo a questão: infelizmente qual o hospital português de referência que não esteja nessa situação?

Saneamento...
"mas sim por imposição de directivas europeias e tu sabes isto perfeitamente"
É verdade que há directivas, mas nenhuma impõe 2011 como meta final... no próximo ano teremos uma média nacional de cobertura inferior a 70% e a correr tudo pelo normal teremos a Feira com a rede completa (cerca de 95%, dado que os restantes 5% são sempre consideradas situações particulares a resolver isoladamente quando é possível). Portanto, mesmo com graves atrasos temos a Feira a teminar muito antes de Lisboa e do Porto!

Quanto ao PEC, QREN e Novembro... tens razão no que dizes... devo no entanto acrescentar, que tal como o CCTAR o PEC está perfeitamente encaminhado para aprovação QREN, que em ambos os casos deveria ter surgido em Setembro. Na verdade os 2 concursos em questão continuam a aguardar resultados. E nós esperamos pacientemente! :)

O Conspirador disse...

É interessante a abordagem que fazes às questões. Sendo verdade que nos estamos a afastar daquilo que pretendi transmitir com o post, não vou deixar de replicar algumas das coisas que escreveste e acredito sinceramente que não o fizeste por mal, mas por vezes a tenacidade com que procuramos fazer valer as nossas razões tira-nos lucidez.
Tal como tu, também eu vou por partes:

Tu nunca leste cá nenhum texto onde eu tenha escrito que a câmara da Feira não é empenhada na consecução dos seus projectos, nunca pus isso em causa nem ponho. Posto isto, eu não duvido do empenho da câmara, mas empenho não é sinónimo de competência e principalmente não é também sinónimo de seriedade política. Neste aspecto os exemplos de falta de seriedade multiplicam-se à saciedade. Esta desonestidade política é bem vincada quando se promete aquilo que não se pode cumprir , ou então quando o cumprimento dessas promessas não depende exclusivamente de nós e com isso se obtêm vantagens políticas ou eleitorais.

Quando falas do projecto do hospital sabes perfeitamente que esse não era um projecto que dependia directamente da Câmara, portanto dizer que a câmara teve aqui um papel relevante até será verdade, mas isso dependia do ministério da saúde. Mesmo em termos de empenho, é reconhecido por todos, mesmo pela Câmara da Feira o contributo que teve o Dr. Strecht Monteiro, enquanto presidente da comissão instaladora do hospital de S.S., e que eu saiba ele não fazia parte do executivo camarário. A câmara teve méritos na construção do hospital da Feira, com certeza que sim, assim como muitas outras pessoas que te escusaste a referir, mas esse definitivamente não foi um projecto da Câmara, por isso esse projecto não entra aqui nestas contas.
Ainda pensei que fosses referir os centros escolares.
Este é talvez dos projectos mais bem conseguidos pela câmara, de facto o nosso parque escolar é miserável em muitos aspectos, está bastante degradado e é necessário fazer uma autêntica revolução ao nível das infra-estruturas escolares.
O problema é que as intenções são uma coisa, bem positiva por sinal, outra coisa é a realização dos projectos e os exemplos que esta câmara tem para dar em Lamas e Mozelos, são exemplos no mínimo confrangedores. Era de esperar que estes novos centros escolares estivessem já apetrechados com todas as valências que se exigem numa escola moderna, por exemplo, com espaços adequados à prática desportiva, ora isso não foi pensado, lamentavelmente, o que parecendo que não é uma mácula para o futuro. Não podemos ter novas escolas no séc. XXI, com condições análogas ou até piores ( em termos de concepção de espaço) do que as que tínhamos há 50 anos atrás. Portanto por aqui vejo muitas virtudes na intenção de modernizar, mas coloco muitas reservas sobre aquilo que está a ser planeado efectivamente. Se o dinheiro vai ser gasto que seja gasto de uma vez mas que se dotem as escolas com todas as condições e com todas as adequações.

Apenas dois reparos:
"estrada que passa junto do campo do S.J.Vêr"... essa é da pseudo-responsabilidade da Junta.
Não consigo perceber porque é que achas que é assim. Então a rede viária municipal não é da responsabilidade exclusiva da Câmara?

outro reparo:
Saneamento...

"É verdade que há directivas, mas nenhuma impõe 2011 como meta final..."
Não sei se é mesmo assim, mas mesmo que não tenham sido impostas metas para 2011,houve uma directiva que impunha metas para 2009, ou 2008 (não tenho a certeza). Essa directiva impunha que a taxa de cobertura fosse de 70% (salvo erro), aliás a Câmara da Feira foi advertida para este incumprimento, certo?

Para finalizar, continuo a aguardar que me apontas um único exemplo, de um grande projecto de responsabilidade camarária que já esteja concluído.

bc23 disse...

Quanto à abordagem... faço a que normalmente ninguém faz... habitualmente só se pensa no que está à vista, mas normalmente isso não basta para compreender as coisas.

Quanto ao hospital falas em "projecto que não dependia directamente da Câmara"... mas assim sendo nada depende directamente, muito menos o saneamento, tudo precisa de ser aprovado a nível superior. De outra forma não há orçamento.

Quanto ao hospital, o empenho que referi no post não foi o gigantesco do Dr. Strecht Monteiro na comissão instaladora (esse conquistou valências e serviços que não estavam previstos e ainda foi afastado)... foi ainda antes, quando se rejeitaram projectos que não stisfaziam as necessidades do concelho.
Havia a hipótese de dizer fizemos um hospital, mas as necessidades não ficavam cobertas... ou lutar por fazer algo decente... que só após muito "aperto" a Cavaco Silva foi possível... ou a famosa expressão das "barbas de molho" já ficou esquecida? :P

"revolução ao nível das infra-estruturas escolares"... concordo e infelizmente não é só na Feira!
Há muito mais para fazer, mas o número de projectos escolares em curso no concelho é dos mais elevados no país... concordo que é preciso mais, mas não vejo o que reclamar quando há obra no terreno e mais uns quantos em vias de aprovação... acho muito bem que para cada projecto se coloquem reparos e propostas de melhoras.

"Então a rede viária municipal não é da responsabilidade exclusiva da Câmara?"
Eu também o pensava, até que vi a Junta de S J Ver dar a cara por essa obra, que considerou de requalificação da Av. Sá Carneiro e não da prevista Via Feira Nogueira... mais, já na Feira, a junta também chama a si a obra da Av. da Europa, o troço final da mesma via Feira-Nogueira.

Quanto ao saneamento, pelo que li sobre assunto, não falamos de directivas mas de metas para cada projecto. No caso da Feira estava prevista a conclusão da rede para 2010... que com a tradicional burocracia se arrastou previsivelmente para 2011... a Câmara foi alertada para o atraso, não me recordo do ano nem da taxa não cumprida... no entanto o atraso global justifica o atraso parcial... efeito dominó. :)

bc23 disse...

Vamos lá aos Grandes projectos:
Vamos olhar apenas para os GRANDES projectos, de outra forma daria vários exemplos... :)

um por um...

Europarque
Falou-se cedo demais... a Câmara no seu todo, incluindo oposição. Deu-se nas vistas... morreu a Exponor, com isto o projecto tem de ser radicalmente alterado... de qualquer forma sempre foi apresentado o horizonte 2012-2014 (desde 2005) para a conclusão da obra. AINDA não há atraso...

PERM, PEC, Feira Park
Fala-se a sério desde a campanha 2005... muito se falou mas poucos leram a brochura... prometia-se avançar com projectos de execução, financiamento e licenciamento... só em 2009 se prometeu construir... de qualquer forma já temos o Feira Park no terreno, sob alçada da Parque Investe, que deverá inicar a comercialização brevemente. Com execpção do, agora, Feira Park AINDA não há atraso.

Acessibilidades
Temos atrasos... mas temos alterações completas a nivel nacional. A questão das concessões regionais mudou tudo... e afinal há obra: A41 vai cumprir o prazo; A32 a ver vamos (englobando o eixo das cortiças até ao PEC); e variante da Feira com atraso mais do que justificado.

Água
COMPLETO!
Cobertura do concelho a cerca de 95%... ou seja rede concluida!

Saneamento
Atraso de um ano... mas tudo a andar!
Vale a pena falar no motivo do atraso maior(1998)? :P

Espaços Verdes
4 projectos para o concelho (margens do uíma, engenho novo, cáster e lourosa)
Critico o atraso do Engenho (há cerca de uma década que há um esboço fantástico, mas falta o projecto de execução e a obra), Lourosa depende do desfecho das Pedreiras e o restante da conclusão do saneamento.

Afinal já ninguém se lembra da rede de água... deixa de ser problema esquece... mas o concelho não se faz só de grandes projectos... há uma enormidade de pequenos projectos bem mais importantes para a qualidade de vida! Ainda há pouco falavamos dos parques escolares...

O Conspirador disse...

Ora viva BC23, peço desculpa pelo atraso,mas ontem não foi possível vir cá.
Bom, finalmente apontaste um projecto que parece já estar concluído - a rede de abastecimento de água.
Antes de tecer alguns considerandos a este respeito, vou apenas realçar um aspecto comparativo que referiste entre o hospital e a rede de saneamento

"mas assim sendo nada depende directamente, muito menos o saneamento, tudo precisa de ser aprovado a nível superior. De outra forma não há orçamento."

Estás a comparar aquilo que não é comparável, enquanto os serviços de assistência médica proporcionados pelo hospital são da competência directa do ministério da saúde, o saneamento, tal como o abastecimento de água são serviços públicos que dependem directamente da câmara, é verdade ou não é? Por alguma razão se chamavam serviços municipais de água e saneamento e para reforçar devo lembrar~te que a concessão dos serviços à Indáqua foi feita pela câmara e não pelo governo, certo? Então a conclusão comparativa que retiraste não é correcta.
Pois bem, relativamente à agua, eu dou de barato a conclusão do projecto de toda a rede, isto apesar de já termos completado a primeira década do Séc.XXI, não estamos em 1970 ou 1980 ( um bocado tardote, não achas? tanto mais que sendo a água um elemento indispensável à vida e sendo este concelho considerado pelo executivo da Câmara, um concelho modelo na vanguarda do desenvolvimento e do progresso social, convenhamos que é muito lisonjeiro constatar que este foi o único grande projecto concluído pela câmara municipal desde o 25 de Abril. Mas se leres o Post com atenção, eu não faço qualquer referência ao projecto da rede de abastecimento de água, faço referência a outros projectos que serviram de mote para esta troca de argumentos.
Na parte final deste último comentário fizeste referência à qualidade de vida dos feirenses.
É exactamente isso que eu penso que a Câmara tem descurado, toda a programação cultural que tem sido desenvolvida é interessante, mas isso não se reflecte directamente na qualidade de vida da população.
Os recursos são escassos e como tal deveriam ser direccionados para o bem-estar comum, o problema é que quando o cobertor é curto, se cobres os pés descobres a cabeça e vice-versa.
Resumindo e concluindo, o projecto CCTAR poderá ter as suas virtudes se vier a ser realizado, no entanto, mesmo que a candidatura do QREN seja aprovada, a câmara terá que lá meter uma parte do dinheiro, indo o dinheiro para o CCTAR, com certeza que ele irá faltar noutro lado qualquer, nomeadamente em projectos que promovam a qualidade de vida das populações, por exemplo, espaços verdes, como bem referiste.
O que se trata aqui é de opções por modelos de desenvolvimento, a câmara entende que será melhor promover o concelho de fora para dentro, ou seja, com doses maciças de festas e de eventos que atraiam visitantes. A minha perspectiva é outra, primeiro há que promover o bem-estar dos cidadãos do concelho. O nosso concelho tem inúmeras carências a vários níveis que se reflectem negativamente na qualidade de vida das populações.
Com toda a honestidade e sem qualquer intenção cínica, quer-me parecer que esse projecto do CCTAR não é uma obra prioritária como tal deveria ficar para segundo plano, principalmente na actual conjuntura económica e social. Se as obras reflectissem os anseios das populações tenho a certeza que esse projecto não seria considerado prioritário por uma larga maioria de feirenses. As pessoas têm necessidades mais latentes, mais urgentes, querem que lhes resolvam os problemas do dia a dia, por vezes com pequenos projectos conseguem mover-se montanhas, traz-se mais vantagens para as pessoas do que trazem obras faraónicas cuja utilidade é mais que questionável.
Pronto fico-me por aqui, foi um prazer trocar argumentos contigo, pena tenho que mais ninguém nos quisesse acompanhar nesta tertúlia.

bc23 disse...

Ora.... nunca é tarde!

CCTAR... é verdade que há que investir dinheiro (cerca de 2 milhões de euros, não deve andar longe)... é verdade que com esse dinheiro não se faz mais nada... mas será o CCTAR somente um edifício para mostrar cultura?
DEFINITIVAMENTE NÃO!
O CCTAR será, e já o é, acima de tudo uma estrutura de produção (infelizmente, para já, não 100% aberta à comunidade local... que lentamente tem vindo a mudar)... aquele espaço será uma verdadeira CASA para todos os que pretendem CRIAR nas área da rua e do teatro.
Mais uma vez o digo, que embora parece megalómano, não passa de uma estrutura absolutamente minimalista, sem requintes obsoletos. A principal área de espectáculos, ao contrário do que muito se apelida para aí, não é um cine teatro... falamos de um espaço polivalente com uma altura incrível (17 m no ponto mais alto), completamente livre e sem cadeiras. Uma polivalência rara que lhe permite a realização dos "espectáculos de rua" todo o ano, e que com cadeiras "soltas" rapidamente se transforma noutra sala. Aí está outro pormenor o conceito que atrai multidões no Verão (especialmente em 4 dias) servirá para criar programação TODO O ANO... certamente com receita de bilheteira!!!

Quanto à questão do investimento em qualidade de vida... o acesso à cultura também é qualidade de vida... e quando temos uma aposta tão forte na área... quando afirmamos que a aposta no turismo histórico, cultural e de saúde é para CRESCER esta transforma-se numa obra fundamental pela sua diferenciação.
MAIS, quando se fala que se poderia investir em espaços verdes... bem, na verdade este investimento é acima de tudo ambiental... a eliminação da abandonada pedreira em pleno centro da cidade feirense, com criação de um lago gigante, duas novas praças e um jardim certamente se enquandra na perfeição num conceito ambiental urbano por excelência!!! :)

"esse projecto do CCTAR não é uma obra prioritária como tal deveria ficar para segundo plano"
Não concordo, por um motivo muito simples... estamos neste momento com as candidaturas QREN a decorrer. Não sabemos dentro de quanto tempo (anos) tal volta a ser possível... mais, desta vez as hipóteses de aceitação são próximas de 100%, pela pertinência, inovação... e acima de tudo pelas mais valias do projecto não só em termos culturais, como ambientais e urbanos! Ora, trata-se de uma oportunidade flagrante de levar mais longe o que se faz por cá e que já movimenta centenas de pessoas e que estas novas condições certamente possibilitará alguma profissionalização.
Por último, o que hoje é pertinente e inovador certamente corre riscos de imitação, como em tudo na vida... portanto, o que hoje temos de diferente ou avança ou rapidamente terá concorrência em luta pelo "osso".

Quanto à água... certamente que foi tardio, mas mais uma vez, e infelizmente, sou obrigado a olhar para o país que temos, onde a generalidade dos concelhos não tem as redes concluidas. Falta pouco... mas falta!

Quanto ao hospital não me refiro a responsabilidade directa, mas num caso como o da Feira a autarquia teria flagrantemente de agir ou mais uma vez seriamos "comidos" pela vizinhança... era preciso agir e trazer o hospital que a Feira precisava e não um Oleiros 2 como se projectou por várias vezes.
Essa mudança deve-se à autarquia, à persistência... acredito que aquele investimento tenha bloqueado outros, mas neste caso concreto não consigo desligar a poder local. Quando a nível nacional não se quer fazer alguém fazer-se ouvir não é fácil.

Projectos concluidos... acrescento outro: décadas de pedidos... bem ou mal (em certos pontos acredito que mal) temos a EN1 requalificada. :P

Anónimo disse...

bem pelos vistos parece mesmo que vamos ter um CCTAR não é assim conspirador?

Anónimo disse...

http://achatcialisgenerique.lo.gs/ commander cialis
http://commandercialisfer.lo.gs/ cialis
http://prezzocialisgenericoit.net/ cialis acquisto
http://preciocialisgenericoespana.net/ cialis comprar

Anónimo disse...

http://prixviagragenerique50mg.net/ achat viagra
http://prezzoviagraitalia.net/ viagra
http://precioviagraespana.net/ viagra

eXTReMe Tracker

  © Feira das Conspirações! - Santa Maria da Feira - Portugal - Maio/2008

Voltar ao Início